Art Week

Art Week

De 14 a 28 de agosto, o Alphaville Tênis Clube apresenta a exposição “Art Week” no Espaço de Arte.

As peças fazem parte do acervo dos artistas Alemão Art, Bruno Portela, Paula Portela, Ricardo Munhoz e Rogério Pedro.

Visite nosso espaço e confira todos os detalhes!

O horário de funcionamento do Espaço de Arte é de segunda a sábado das 9h às 21h e aos domingos das 9h às 19h. Prestigie!

Confira nas janelas ao lado um pouco mais sobre cada artista.

Mais informações no Depto. Social.

Prestigie!

Anderson Lemes tem 34 anos, assisense conhecido como Alemão, tem suas habilidades artísticas em Street Art representadas em mais de 85 cidades no Brasil e Europa.

”Suas pinturas que compõem as bicicletas da série atual tem uma variada carteira de cores, símbolos distintivos e personagens imaginários que impulsionam os passeios de bicicleta pelas cidades sejam em um dia de sol ou chuva a distribuir sentimentos lúdicos de criança, alegria, perseverança, humildade, amizade, amor e transmitir isso em detalhes ao espectador em um contexto social, criativo e contemporâneo”, Antonio D’Avossa, Professor of Contemporary Art History at the Accademia Internazionale di Belle Arti di Brera in Milan.

Com exposições na Suíça, França, Alemanha, Canadá, Portugal, Irlanda, Argentina, Chile, México, Japão, Estados Unidos entre outros países, sua obra está presente em 25 países mundo afora sendo um sucesso de crítica e aclamação por onde passa, foi convidado em 2014 a expor no museu mais famoso e respeitado do mundo, o Museu do Louvre em Paris com as obras: ‘’Love Rio’’, ‘’Bossa Nova’’ e ‘’ O Palhaço que vendia doces’’. Em 2016, foi convidado para expor pela Europa, a turnê durou 3 meses tendo como destinos Portugal, Espanha, Itália e Inglaterra.

Confira algumas de suas obras na galeria!

Bruno Portella é artista plástico há 10 anos, com influências do acadêmico ao contemporâneo, Portman cria obras em diversas plataformas e técnicas.

Desde pequeno, Bruno sempre teve uma atração pelo fogo; o que nem sempre acabava bem. Incêndios eram frequentes. O tempo passou e o pequeno incendiário se tornou artista plástico. A união desses dois elementos gerou a identidade visual pela qual o artista é conhecido atualmente.

O trabalho do artista também consiste em aplicar, desenvolver ou adaptar esta identidade para outras técnicas, como grafite, areografia, tinta acrílica e etc; e também em diferentes plataformas como telas, painéis e peças.

Portman possui obras em coleções particulares em cidades como Miami, San Diego, Toronto, Amsterdã, Genebra e São Paulo, e recentemente, através de um convite, fez parte do livro “The Art Book Brasil” lançado em dezembro de 2015 pela editora DecorBook, em Miami, durante a realização da feira de arte e design “Art Basel Miami”. Durante o ano de 2015 e 2016, Bruno Portella também participou do “Art Battle Brasil”, um evento que ocorre no mundo todo e está há dois anos em terras tupiniquins.

O artista foi campeão de duas de suas edições realizadas nos meses de dezembro de 2015 e Dezembro de 2016, o “ArtBattle Lounge”. Em 2016 a arte de Portman recebeu muita atenção fazendo com que o artista realizasse 4 exposições individuais e participasse de 6 coletivas só neste ano.

Em janeiro de 2017 o Atelier Bruno Portella foi eleito pela revista Vero como o favorito de Alphaville e Região entre todos os estabelecimentos de decoração e galerias de arte. Em Fevereiro deste mesmo ano foi convidado pela diretoria do Memorial da América Latina a expor 3 obras pelo período de 6 meses no mesmo emblemático local. As pinturas já estão em exposição. Em suas obras, Portman discute aspectos da vida contemporânea de uma maneira cativante e com uma identidade visual de encher os olhos com suas cores e contrastes. Confira aqui mais em: www.brunoportella.com

Confira algumas de suas obras na galeria!

 

Paula Portella Mótono nasceu na cidade de São Paulo, em 04 de dezembro de 1981. Iniciou seus estudos em artes plásticas aos 10 anos de idade na Academia Brasileira de Arte.  Aos 14 anos iniciou seus estudos em música, teve aulas de canto, violão, piano, gaita, história da música e coral, nos conservatórios Souza Lima e  Jam Escola de Música. Com formação em Turismo e Marketing, a multiartista largou tudo para se dedicar ao que mais gostava, e hoje divide seu tempo entre os palcos e as artes plásticas.

Em 2010 Paula lançou seu primeiro CD de músicas autorais, intitulado Ciclos Infinitos, transitando livremente entre os gêneros blues, funk e pop, com influências da música brasileira. O álbum, com produção musical assinada por Guilherme Chiappetta, também conta com a participação do renomado guitarrista Nuno Mindelis.

Em 2011 retomou seus estudos em Artes Plásticas na Academia Brasileira de Arte, em São Paulo e em 2014 mergulhou em especializações artísticas na University of the Arts London, Inglaterra.

Em 2015 a artista entrou para o livro The Art Book Brazil, da Editora Decorbooks, como artista convidada para integrar a obra juntamente com outros 29 artistas. Este livro, que representa 30 artistas contemporâneos brasileiros e foi lançado em Miami durante a feira Art Basel com apoio das marcas Artefacto e Galerie Brésil, sempre atuante nas artes plásticas e na música, Paula uniu estas duas paixões em suas últimas séries de obras, Black Power Divas e Utópicos Factíveis.

Confira algumas de suas obras na galeria!

Ricardo Muñoz pinta faz 15 anos. Uma viagem aos museus da Europa inspirou o artista. Na França conheceu o trabalho do pintor americano Jackson Pollock.

O Expressionismo Abstrato foi sua primeira grande paixão nas artes, formou-se em Jornalismo e trabalhou nas principais emissoras da Televisão Brasileira. O trabalho diário com imagens influenciou diretamente sua arte, o estudo de novas técnicas trouxe o grafite para suas obras, depois de dez anos o estilo Abstrato ganhou formas e entrou em cena o estilo urbano, com desenhos em luz e sombra.

As latas de spray dão tom no fundo das telas, cores vibrantes que destacam as figuras em primeiro plano, feitas no pincel e com tinta acrílica.

M2 tem obras expostas em Miami na Art & Design Gallery, Urban Arts e em coleções particulares na Espanha, Estados Unidos, Itália e Inglaterra.

Ricardo Munhoz é membro da ZARCO, Academia Internacional de Artes com sede em mais de 10 países, em 4 Continentes.

Confira algumas de suas obras na galeria!

Rogério Pedro tem 41 anos, artista plástico natural de São Paulo, formado em Artes Plásticas em 2000, pela PUC – Pontifícia Universidade Católica de Campinas-SP e realiza diversos projetos de pintura mural, expressão artística com a qual teve seu primeiro contato em 1990, na cidade de São Paulo, berço da arte urbana brasileira.

Foi a partir daí que Rogério Pedro encontrou a melhor forma de manifestar o seu talento inato, exercido desde pequeno, quando já fazia ilustrações para quadrinhos. O trabalho mural surgiu como uma possibilidade de contar histórias e situações do cotidiano ou vivências próprias por meio das imagens, preenchendo virtuosamente a sua inquietude artística.

E o grafite veio como a melhor forma de manifestar sua arte, essencialmente vibrante e alegre. Tinta spray e muitas cores, para revelar a grande verdade de Rogério Pedro – aquela que mostra a que se presta o seu talento, voltado à alegria, ao entretenimento e ao desejo de fazer as pessoas felizes.

Seu trabalho é influenciado pelo Movimento Modernista e suas diversas ramificações, particularmente o cubismo. Utiliza a linguagem da desconstrução dos volumes e formas, através de pinturas figurativas, vasta paleta de cores, tons e sensibilidade, em uma identidade única e marcante.

É possível também aliar a sua arte à vasta experiência adquirida em 15 anos de uma bem sucedida carreira como diretor de arte em agências de publicidade, tendo-se especializado em branding e focado seu trabalho no desenvolvimento de projetos de construção e posicionamento de marcas.

Tem sua arte exposta em São Paulo e no interior de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre , Bahia, Miami, Fort Lauderdale e trabalhos publicados em Nova Iorque, França, Espanha e no The ArtBook Brasil – uma das mais importantes publicações de arte do mundo – além de pinturas em coleções particulares no Brasil, San Francisco, Nova Iorque, Miami e Bogotá.

Rogério Pedro ganhou dois prêmios de artes visuais: ouro e mérito, em 1998 e 1999, na PUC de Campinas. Além disso, realizou três exposições individuais e participou de 12 coletivas, além do envolvimento com trabalhos voluntários, contribuindo com a sua arte para ONGs e institutos.

Confira algumas de suas obras na galeria!