Morte acidental de um Anarquista

Morte acidental de um Anarquista

No dia 18 de agosto, o ATC levará os seus associados a assistirem ao espetáculo Morte acidental de um Anarquista no Teatro Gazeta.

Fique ligado e retire seu convite no Depto. Social! A data limite de adesão será no dia 30 de julho.

Data: 18 de agosto.

Horário do Espetáculo: 22h00.

Saída do Clube: 20h30.

Previsão de Retorno: 00h00.

Valor: R$ 80,00.

Classificação: 14 anos.

Gênero: Comédia.

Duração: 85 minutos.

Local: Teatro Gazeta – Av. Paulista, 900 – São Paulo.

Mais informações no Depto. Social.

Participe!

Marcelo Laham passa a integrar o elenco ao lado de Henrique Stroeter, Riba Carlovich, Maíra Chasseraux, Marcelo Castro e Rodrigo Bella Dona desta comédia de Dario Fo vista por mais de 200 mil pessoas continua em cartaz no Teatro Gazeta e comemora 400 apresentações em São Paulo.

A comédia Morte Acidental de Um Anarquista já foi vista por aproximadamente 80 mil pessoas, volta aos palcos de São Paulo. A montagem do texto de Dario Fo, prêmio Nobel de Literatura em 1997 e um dos dramaturgos mais importantes da atualidade, fica em cartaz até outubro, com apresentações aos sábados 22h e domingos 20h, no Teatro Gazeta.

Um louco cuja doença é interpretar pessoas reais é detido por falsa identidade.  Na delegacia, se passa por um falso juiz na investigação do misterioso caso do anarquista. A polícia afirma que ele teria se jogado pela janela do quarto andar.  A imprensa e a população acreditam que foi jogado. O que teria acontecido realmente? O louco vai enganando um a um, assume várias identidades e, brincando com o que é ou não é real, desmonta o poder e acaba descobrindo a verdade de todos nós.

“É impressionante como Morte Acidental ainda é atual, 45 anos depois de escrita. É como se ele estivesse falando dos dias hoje, principalmente no Brasil. Em chave de farsa Dario Fo, nos brinda com um texto brilhante. O que fizemos foi tirar as referências que só faziam sentido para os italianos e a realidade em que viviam nos anos setenta. A fábula, a história na nossa montagem esta intacta. O próprio Fo a cada remontagem da peça fazia modificações.” diz Hugo Coelho, diretor da peça.

O personagem do Louco (Marcelo Laham) vê representar um juiz como ponto alto de sua “carreira”, pois já se passou por médico cirurgião, psiquiatra, bispo e engenheiro naval, entre outros. Na delegacia, preso pelo Comissário (Marcelo Castro) encontra os responsáveis pela investigação, o Delegado (Henrique Stroeter) e o Secretário de Segurança (Riba Carlovich). Depois a imprensa aparece, através da Jornalista (Maira Chasseraux). Todos, menos o Louco, inspirados em personagens reais.

Baseado em fatos reais, a comédia mais famosa de Dario Fo, Prêmio Nobel de Literatura de 1997, diverte e esclarece, aprofunda e critica a vida e a nossa sociedade.

Fique ligado e retire seu convite no Depto. Social!